Como calcular o custo de manutenção de equipamentos?

Compartilhe esse conteúdo

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Apesar de não ser nada barata, a manutenção de equipamentos é indispensável. Além disso, saber calculá-la é fator primordial para evitar prejuízos desnecessários para a empresa. Afinal, equipamentos quebrados e parados indicam perdas de investimento, funcionários ociosos e alteração negativa na rotina de trabalho.

Entre os estilos de manutenção, estão as manutenções preditiva e preventiva. Para garantir os benefícios de ambas, é preciso saber a diferença entre elas e entender suas aplicabilidades. Com isso, o gestor de obras é capaz de prever onde, como e quando adotá-las.

Conheça os dois principais tipos de manutenção: preditiva e preventiva

Os dois tipos de manutenção devem ser conhecidos e dominados pelo gestor de obras. Para iniciar a coleta de dados, o gestor observa quais tipos de equipamentos são utilizados, tamanho de suas estruturas e locais de funcionamento dos mesmos.

Manutenção preditiva:

A manutenção preditiva de equipamentos é o estudo de vida útil do maquinário em funcionamento. Ou seja, como deve ser armazenado, onde pode ser colocado, como ser utilizado, impactos e vibração permitidos, etc. Por meio da manutenção preditiva, é possível evitar maiores dores de cabeça por uso inadequado do equipamento.

A análise de condição pode ser feita levando em consideração:

• Vibração permitida: é importante saber a frequência de vibração permitida pelo equipamento, a fim de evitar rachaduras e descolamento de partes.

• Inspeção de ruídos: durante a análise, ligue o equipamento e verifique se algum ruído diferente escapa pelas áreas funcionais.

• Inspeção visual: procure por ondulações, buracos ou marcas anormais no equipamento, olhando atentamente em todos os espaços.

• Desempenho: observe a rotina do maquinário, e anote dados sobre o seu desempenho durante o trabalho. Atente-se caso haja queda de desempenho.

• Termografia: por meio de um aparelho especial, inspecione a temperatura do maquinário para evitar falhas elétricas e mecânicas causadas por superaquecimento ou esfriamento.

Manutenção preventiva:

A manutenção preventiva de equipamentos é o que assegura o bom funcionamento do maquinário. Dessa forma, garante-se tranquilidade tanto para o operador, como para a empresa. Utilizando de algumas estratégias, a prevenção de danos é fundamental para a redução no gasto com peças. Portanto, é preciso que o gestor tome ações antecipadas para minimizar o impacto negativo de maquinários parados por falta de manutenção.

A manutenção preventiva normalmente é realizada seguindo:

• Lubrificação periódica: verificação de óleos necessários para o total desempenho do maquinário.

• Dados da prevenção preditiva: análise do que foi coletado em exames posteriores, pelo gestor ou operadores das máquinas.

• Revisão sistemática: observação mais aprofundada no equipamento, iniciando por partes aparentemente sem alteração, até as que já apresentam alguma falha.

A partir disso, caso algum problema seja notado, é iniciada a manutenção corretiva. Ou seja, o gestor deve solicitar uma equipe capacitada para consertar o maquinário. Enfim, após a correção, o equipamento retorna para a rotina de manutenção preditiva e preventiva.

Por fim, é importante que haja um controle metódico sob os equipamentos. Com isso, as manutenções previamente agendadas podem reduzir prejuízos inesperados para a empresa. Como você faz a manutenção de seus equipamentos? Compartilhe conosco nos comentários.

Você também pode gostar de ler

Geral

Um resumo sobre a Kartado 💙

Você ainda tem dúvidas sobre como as nossas soluções funcionam? Não sabe quais segmentos, serviços e porte atendemos? Não sabe como funciona nosso suporte? Bom,

Geral

13/05 – Dia do automóvel 🚗

Você sabia que hoje, 13/05, é o Dia do Automóvel? Isso mesmo! A data foi criada no ano de 1934 por Getúlio Vargas, que assinou