ARTIGO EDU.KARTADO

ARTIGO EDU.KARTADO

Orçamento de obras: como fazer e exemplos de planilhas preenchidas

Você sabe como fazer orçamento de obras e os benefícios de contar com uma planilha padrão para sua emissão e gestão de obras?

Ter um orçamento de obras bem estruturado é uma base para qualquer projeto de engenharia rodoviária. 

Podemos dizer que um orçamento de obras detalhado proporciona um plano financeiro, abrangendo todos os custos associados, desde materiais e mão de obra até despesas indiretas e contingências. 

A chave para um bom orçamento é sua precisão e realismo, garantindo que todos os aspectos do projeto sejam financeiramente viáveis e bem planejados.

Uma das ferramentas para criar um orçamento detalhado são as planilhas de orçamento. Das quais falaremos à frente! Estas planilhas permitem a categorização de custos, facilitando a análise e o acompanhamento de despesas ao longo do projeto.  

Os benefícios de um orçamento bem elaborado são inúmeros. Afinal, oferece uma visão dos custos totais, ajuda a identificar áreas onde é possível economizar, assegura o uso eficiente dos recursos e contribui para a tomada de decisões financeiras.

Enfim! Se quiser saber mais sobre o orçamento de obras, vem com a Kartado e confira nosso guia completo!

O que é o orçamento de uma obra?

O orçamento de uma obra é um documento que estima os custos associados à realização de um projeto. Ele detalha todas as despesas previstas, abrangendo desde a aquisição de materiais até o pagamento de mão de obra e outros custos operacionais. 

O objetivo principal do orçamento é fornecer uma visão dos recursos financeiros necessários para completar o projeto com sucesso. Serve como um plano financeiro, ajudando os gerentes de projeto a prever gastos, planejar investimentos e controlar despesas ao longo do projeto rodoviário. 

Além disso, um orçamento bem elaborado assegura a viabilidade financeira do projeto, evitando quaisquer desperdícios. 

O que deve ter em um orçamento de obra?

Um orçamento de obra deve ser abrangente, incluindo, assim,  vários elementos para garantir sua precisão e utilidade. Estes incluem:

  • Custos de materiais: Estimativa detalhada dos materiais necessários para o projeto, incluindo quantidades e preços.
  • Mão de obra: Custo da força de trabalho necessária, considerando diferentes categorias de trabalhadores e horas trabalhadas.
  • Equipamentos: Custos de aluguel ou compra de equipamentos e ferramentas necessárias.
  • Despesas indiretas: Gastos gerais associados ao projeto, como transportes, seguros e utilidades.
  • Contingências: Um fundo de reserva para imprevistos ou alterações no projeto que possam resultar em custos adicionais.
  • Taxas e licenças: Custos relacionados a licenças, autorizações e eventuais taxas legais.
  • Despesas administrativas: Gastos com a gestão do projeto, incluindo escritório, comunicação e software.

Quais são os tipos de orçamentos de obras?

Existem vários tipos de orçamentos de obras, cada um adequado a diferentes fases.

Dessa forma, podemos dizer que os mais comuns são:

  1. Orçamento preliminar ou estimativo: Realizado nas fases iniciais do projeto, este orçamento fornece uma estimativa aproximada dos custos. É baseado em informações limitadas e serve para uma avaliação inicial da viabilidade financeira.
  2. Orçamento detalhado ou executivo: Elaborado com informações mais precisas e detalhadas, oferece uma visão completa dos custos associados a todas as fases do projeto. É o mais completo e é utilizado para a execução e controle financeiro da obra.
  3. Orçamento comparativo: Usado para comparar diferentes opções de materiais, técnicas ou fornecedores. Auxilia na escolha das soluções mais custo-eficientes para o projeto.
  4. Orçamento base zero: Envolve a elaboração de um orçamento do zero, sem considerar orçamentos anteriores. É indicado para projetos novos ou quando há mudanças significativas em relação a projetos anteriores.
  5. Orçamento por absorção: Inclui todos os custos diretos e indiretos relacionados à obra, oferecendo uma visão abrangente dos gastos totais do projeto.

Cada tipo de orçamento tem suas características e é escolhido com base nas necessidades do projeto. Independentemente do tipo, um orçamento bem elaborado é indispensável para a gestão de um projeto de engenharia!

Como fazer cronograma de obra usando Excel e Power BI? Criando modelo de cronograma de obra

O Power BI, em conjunto com o Excel, pode ser utilizado para gerenciar e visualizar o cronograma de obras de maneira interativa. Essa combinação permite que gestores e profissionais especializados em rodovias acompanhem de perto os prazos, avaliem o tempo necessário para a conclusão das obras e façam ajustes proativos no planejamento.

Ao utilizar o Excel para organizar os dados do projeto, como prazos, marcos, recursos e progresso das tarefas, e depois integrar essas informações ao Power BI, os usuários ganham uma perspectiva dinâmica e detalhada do cronograma. 

O Power BI oferece recursos visuais e dashboards interativos que facilitam a interpretação dos dados, permitindo a identificação rápida de atrasos potenciais, gargalos no processo e áreas que necessitam de atenção extra. 

Além disso, essa integração possibilita a análise de tendências e a geração de insights que podem levar a decisões mais estratégicas e informadas.

Workshop de Power BI da Kartado | Criando seu cronograma de obras

Para interessados em aprofundar seus conhecimentos e habilidades nesta área, apresentamos um workshop especial de Power BI, conduzido pelo experiente João Eccel. 

Este workshop é uma oportunidade para aprender a utilizar o Power BI de maneira efetiva na gestão de cronogramas de obras, desde a coleta e organização de dados no Excel até a criação de relatórios e dashboards no Power BI.

Como fazer orçamento de obra?

Confira, abaixo, as dicas que separamos para elaborar um orçamento de obras no setor de infraestrutura rodoviária. 

1. Realize um levantamento topográfico detalhado

O levantamento topográfico serve para um orçamento preciso em obras rodoviárias. Ele fornece informações sobre o terreno, incluindo elevações, declives, e características geológicas. 

Esses dados servem para planejar a extensão e o tipo de trabalho necessário, como terraplanagem e pavimentação. Uma avaliação topográfica precisa ajuda a evitar surpresas durante o projeto, que podem levar a custos adicionais e atrasos.

2. Estude o projeto de engenharia rodoviária 

Um orçamento depende do entendimento completo do projeto de engenharia rodoviária. Assim, inclui a análise de desenhos técnicos, especificações e requisitos do projeto. 

Ao compreender todos os aspectos do projeto, é possível fazer estimativas mais precisas dos materiais, mão de obra e equipamentos necessários. Também permite identificar possíveis desafios ou necessidades especiais, como pontes ou viadutos, que podem influenciar no custo total.

3. Considere as condições climáticas da região

As condições climáticas da região onde a obra será realizada afetam o cronograma e os custos do projeto. Climas com chuvas frequentes, por exemplo, causam atrasos e exigem equipamentos e técnicas especiais para drenagem. 

Por outro lado, regiões muito secas ou quentes requerem medidas adicionais para garantir a qualidade do asfalto e a segurança dos trabalhadores. Incluir esses fatores no orçamento garante uma maior precisão e preparo para lidar com condições climáticas adversas.

4. Faça uma análise de riscos abrangente

Identificar e avaliar os riscos potenciais é uma etapa no orçamento de obras rodoviárias. Logo, inclui desde riscos geológicos, como deslizamentos ou erosão, até riscos operacionais, como atrasos devido a problemas logísticos. 

Uma análise de riscos ajuda a prever e alocar fundos para contingências, garantindo que o projeto possa prosseguir sem interrupções significativas, mesmo diante de imprevistos. 

A gestão de riscos também contribui para a segurança geral da obra, minimizando as chances de acidentes e garantindo a conformidade com normas de segurança.

5. Calcule o custo de materiais específicos para obras rodoviárias

O cálculo dos custos de materiais específicos é um dos pilares de um orçamento de obras rodoviárias. Materiais como asfalto, concreto, brita e areia são essenciais e seus preços variam. 

Considere a qualidade, a quantidade necessária e os custos de transporte desses materiais. Além disso, deve-se levar em conta a variação de preços devido a fatores de mercado ou geográficos.  

6. Estime o custo da mão de obra com base na complexidade

A mão de obra é outro componente no orçamento de obras rodoviárias. Os custos de mão de obra devem refletir a complexidade e a duração do projeto. 

Estime corretamente o número de trabalhadores necessários, as horas de trabalho e os salários, considerando diferentes categorias de profissionais, como operadores de máquinas, engenheiros, apontadores, encarregados e trabalhadores gerais. 

Além disso, deve-se incluir custos adicionais como horas extras, benefícios e seguros. Uma estimativa precisa da mão de obra assegura que o projeto tenha pessoal suficiente para ser concluído no prazo e dentro do orçamento.

7. Inclua custos de maquinário e equipamentos especializados

Obras rodoviárias exigem maquinários e equipamentos especializados, como pavimentadoras, rolos compactadores e máquinas de pinturas viárias. 

O orçamento deve incluir os custos de aluguel ou compra desses equipamentos, bem como despesas com manutenção e combustível. 

Avalie a necessidade de cada equipamento durante as diferentes fases do projeto e planeje sua utilização de forma eficiente para reduzir custos.

8. Preveja despesas com sinalização 

A segurança é um aspecto de peso em obras rodoviárias, tanto para os trabalhadores quanto para os usuários da via. Portanto, é imprescindível prever despesas com sinalização e segurança. 

Logo, inclui a instalação de sinalização temporária, equipamentos de segurança para os trabalhadores, barreiras de proteção e iluminação adequada. 

Além disso, deve-se considerar os custos de medidas para minimizar o impacto no tráfego e garantir a segurança dos motoristas. 

Por isso, deve-se investir em segurança e sinalização a fim de reduzir o risco de acidentes e atrasos relacionados a questões de segurança.

9. Contabilize os custos de transporte e logística

O transporte e a logística desempenham um papel muito importante em obras rodoviárias e devem ser contabilizados no orçamento. Esses custos incluem o transporte de materiais, equipamentos e trabalhadores para o local da obra. 

Em projetos rodoviários, que muitas vezes são realizados em locais remotos ou de difícil acesso, esses custos tornam-se mais altos. 

Deve-se estimar o custo de veículos de transporte, combustível, manutenção e possíveis taxas de trânsito ou pedágio. Além disso, a logística assegura que os materiais e equipamentos cheguem no momento certo, evitando atrasos e interrupções no cronograma da obra.

10. Estime o custo de terraplanagem e fundações

A terraplanagem e as fundações são etapas em muitas obras rodoviárias e frequentemente representam uma parcela significativa do orçamento total. 

A terraplanagem envolve a remoção, o movimento ou a adição de grandes quantidades de terra ou rocha para criar uma superfície nivelada. O custo dessa fase depende do volume de terra a ser movimentado e da natureza do terreno. 

Enquanto isso, as fundações exigem análise geotécnica para determinar a profundidade e o tipo de fundação necessária, variando de acordo com as condições do solo. 

11. Considere os custos ambientais e de licenciamento

Os custos ambientais e de licenciamento são muitas vezes ignorados em projetos de obras rodoviárias. Estes incluem os custos para obter as licenças ambientais necessárias, taxas governamentais e despesas com estudos de impacto ambiental. 

Além disso, podem haver custos associados à mitigação de impactos ambientais, como a realocação de fauna, reflorestamento ou criação de barreiras acústicas.  

12. Planeje contingências para imprevistos

Um orçamento bem elaborado para obras rodoviárias deve incluir uma reserva para contingências. Esta reserva é destinada a cobrir custos inesperados ou imprevistos que surgem durante a execução do projeto. 

Imprevistos incluem atrasos devido a condições climáticas adversas, descobertas de condições geológicas imprevistas ou alterações no projeto exigidas por razões técnicas ou regulamentares. 

De acordo com o ERP Mega e Asana, uma porcentagem do orçamento total (geralmente entre 5% e 10%) é alocada para essas contingências. Ter uma reserva para imprevistos assegura que o projeto possa continuar sem interrupções significativas, mesmo diante de desafios não planejados.

13. Inclua custos de administração e gestão do projeto

Um aspecto no orçamento de obras rodoviárias é a inclusão dos custos de administração e gestão. 

Estes custos abrangem as despesas associadas ao gerenciamento do projeto, como salários de engenheiros e gerentes de projeto, aluguel de escritórios de campo, equipamentos de comunicação e software de gestão de projetos. 

Aloque recursos suficientes para essa área, pois a gestão do projeto tem um impacto direto no sucesso geral da obra. Falhas na administração levam a atrasos e aumento de custos.

14. Avalie a necessidade de obras de arte especiais, como pontes e viadutos

Obras rodoviárias envolvem estruturas complexas, como pontes e viadutos, que requerem um planejamento e orçamento específicos. Estas estruturas são necessárias para transpor obstáculos naturais ou vias existentes e podem representar uma parcela significativa do custo total do projeto. 

Ao orçar estas obras de arte, considere os custos diretos de materiais e também os custos indiretos, como estudos de engenharia, análises de impacto e medidas de segurança. 

A complexidade dessas estruturas exige uma atenção especial à qualidade dos materiais e à expertise da mão de obra, o que também pode influenciar os custos.

15. Analise o custo de asfaltamento e pavimentação

O asfaltamento e a pavimentação são elementos presentes em qualquer projeto rodoviário. Esses processos envolvem a aplicação do material de pavimentação e a preparação do subleito e das camadas de base e sub-base. 

Ao calcular esses custos, considere o tipo de pavimento escolhido, as especificações técnicas, a extensão da área a ser pavimentada e os custos de mão de obra. 

O orçamento deve refletir o tipo de asfalto ou o tipo de cimento do concreto a ser utilizado, a espessura das camadas, e as técnicas de pavimentação. Além disso, deve-se considerar os custos de manutenção a longo prazo do pavimento.

16. Leve em conta custos de drenagem e obras hidráulicas

A drenagem e as obras hidráulicas são componentes de qualquer projeto rodoviário, especialmente em regiões com elevada pluviosidade ou em áreas propensas a inundações. 

Estes sistemas são projetados para gerenciar a água da chuva e prevenir danos à estrutura rodoviária. Ao elaborar o orçamento, deve-se incluir o custo de canais, bueiros, drenos, assim como o de estruturas maiores como barragens e reservatórios, se necessário. 

A análise de custos também deve considerar estudos hidrológicos e o impacto ambiental das obras de drenagem. A falta de um sistema de drenagem resulta em danos significativos à estrada e, consequentemente, em custos adicionais de manutenção e reparo.

17. Considere custos com testes de qualidade e inspeções

Ao elaborar um orçamento para obras rodoviárias, inclua custos associados a testes de qualidade e inspeções regulares. Estes testes asseguram que todos os aspectos da obra atendam aos padrões de qualidade e segurança estabelecidos. 

Os testes de qualidade podem incluir análises do solo, testes de resistência do concreto e asfalto, bem como inspeções de segurança nas estruturas construídas.

Alocar um orçamento para essas atividades garante que a obra seja realizada conforme as especificações técnicas e previne problemas futuros que podem resultar em custos adicionais. 

Além disso, as inspeções regulares ajudam a identificar e corrigir problemas precocemente, evitando retrabalhos e atrasos. As inspeções também são importantes para cumprir com as regulamentações e normas do setor, evitando multas e complicações legais.

18. Inclua uma previsão para manutenção e reparos futuros

Um orçamento de obras rodoviárias deve contemplar os custos imediatos e a previsão de manutenção e reparos futuros. Esta abordagem assegura a sustentabilidade e a longevidade da infraestrutura rodoviária. 

Você deve incluir uma estimativa para manutenção e reparos futuros. Deste modo, permite um planejamento financeiro mais abrangente e realista do ciclo de vida do projeto.

Esses custos variam bastante dependendo dos materiais utilizados, das condições ambientais e do volume de tráfego esperado na rodovia. 

Uma reserva financeira para manutenção e reparos garante que a estrutura permaneça segura e funcional ao longo dos anos, evitando despesas imprevistas significativas e interrupções no tráfego.

Modelo de orçamento de obras | Exemplos de orçamento de obras

Baixe nossa planilha orçamento de obra aqui. 

Benefícios de um orçamento de obras

Confira, abaixo, as principais vantagens de contar com orçamento de obras.

Controle de custos

O controle de custos é um benefício fundamental de um orçamento de obras bem elaborado para o setor rodoviário. 

Com um orçamento detalhado, é possível monitorar e gerenciar os gastos, evitando excedentes que podem comprometer a saúde financeira do projeto.

 Um bom orçamento também permite a identificação de áreas onde é possível economizar sem prejudicar a qualidade da obra, garantindo a máxima eficiência dos recursos investidos.

Planejamento

Um orçamento bem planejado é a base de um planejamento eficiente. Ele fornece um roteiro claro para todas as fases da obra, desde a aquisição de materiais até a execução dos trabalhos. 

Com esse planejamento, é possível antecipar necessidades, coordenar melhor as atividades e evitar atrasos que podem ser causados pela falta de recursos ou má gestão do tempo. 

Além disso, um planejamento assegura que todos os envolvidos estejam alinhados com os objetivos e prazos do projeto.

Previsão de riscos

A previsão de riscos é outro aspecto que um orçamento detalhado oferece. Ao considerar possíveis cenários adversos, como variações nos preços dos materiais ou atrasos devido a condições climáticas, o orçamento atua como um instrumento para mitigar impactos negativos. 

Esta previsão permite a criação de planos de contingência, garantindo que a obra possa progredir mesmo diante de imprevistos, minimizando atrasos e custos extras.

Tomada de decisão baseada em dados

Em um setor tão complexo quanto o rodoviário, tomar decisões baseadas em dados concretos é muito importante. 

Um orçamento bem estruturado oferece um conjunto de informações que fundamentam a tomada de decisão. 

Com dados precisos sobre custos, recursos disponíveis e prazos, gestores podem fazer escolhas mais informadas, priorizar tarefas e alocar recursos de maneira mais prática, aumentando as chances de sucesso do projeto.

Melhoria da qualidade

Finalmente, a melhoria da qualidade é um benefício direto de um orçamento de obra bem elaborado. Com recursos financeiros adequadamente planejados, é possível investir em materiais de melhor qualidade e em tecnologias avançadas, resultando em estradas mais seguras, duráveis…

Além disso, a qualidade não se limita apenas aos materiais, mas também abrange a execução do trabalho, assegurando que as práticas atendam a altos padrões.

Cumprimento de prazos

Um dos benefícios mais significativos de um bom orçamento de obras no setor rodoviário é o cumprimento de prazos. Um orçamento rigoroso permite alocar adequadamente tempo e recursos a cada etapa do projeto, evitando atrasos comuns causados por falhas no planejamento financeiro. 

Além disso, ao antecipar desafios e ajustar prazos realisticamente, os gestores podem assegurar uma progressão da obra, cumprindo com os prazos estabelecidos e mantendo a credibilidade do projeto.

Transparência e prestação de contas

A transparência e a prestação de contas estão em qualquer projeto de infraestrutura rodoviária, especialmente quando envolvem fundos públicos. 

Um orçamento detalhado e bem gerido promove a clareza em todas as etapas do projeto, permitindo que stakeholders, incluindo o público, acompanhem o uso dos recursos. Esta transparência aumenta a confiança na gestão do projeto e assegura que qualquer desvio de fundos ou má gestão seja rapidamente identificado e corrigido.

Atração de investimentos

Um orçamento bem planejado e gerenciado é um fator chave para atrair investimentos. Investidores e financiadores buscam projetos com planos financeiros sólidos e realistas, que demonstrem viabilidade e rentabilidade. 

Um orçamento detalhado, que claramente delineia os custos e as fontes de receita, pode ser decisivo para garantir o apoio financeiro necessário para a realização do projeto.

Otimização de recursos

O orçamento de obras no setor rodoviário também desempenha um papel na otimização de recursos. Permite que os gestores identifiquem as melhores formas de alocar mão de obra, materiais e equipamentos, maximizando a eficiência e minimizando o desperdício. 

A otimização de recursos reduz custos e contribui para a entrega mais rápida do projeto.

Sustentabilidade financeira do projeto

Por fim, a sustentabilidade financeira é um aspecto garantido por um orçamento de obras bem elaborado. Um planejamento financeiro sólido assegura que o projeto não exceda seus meios financeiros, evitando dívidas insustentáveis e garantindo que o projeto seja viável a longo prazo.

Dessa forma, inclui a consideração de custos de manutenção e operação pós-projeto, assegurando que a infraestrutura rodoviária possa ser mantida adequadamente para servir às necessidades futuras.

E então, tem mais alguma dúvida de como fazer orçamento de obras? 

Veja também:

Cadastre-se gratuitamente na Edu.Kartado e receba os conteúdos em primeira mão!

Não se preocupe, seremos gentis com a sua caixa de entrada! :)

    Nome

    E-mail

    Empresa